A teoria da comunicação autopoiética de Niklas Luhmann

O objetivo deste artigo é apresentar os conceitos básicos da teoria da comunicação presente na obra do sociólogo alemão Niklas Luhmann. Entre eles, autopoiesis, encerramento operativo e acoplamento estrutural, adaptados da biologia cognitiva de Humberto Maturana, e informação, como a diferença que faz a diferença, de Gregory Bateson. Na sociologia luhmanniana, os meios de comunicação simbolicamente generalizados têm três áreas distintas: notícias e reportagens (o jornalismo); a publicidade; e o entretenimento.

Roberto Villar Belmonte *
Artigo de conclusão da disciplina Teoria da Comunicação e Informação ministrada no primeiro semestre de 2013 no PPGCOM/UFRGS.

1 Introdução

A sociedade não pode ser pensada sem a comunicação, e a comunicação não pode ser pensada sem a sociedade. Esta constatação, aparentemente óbvia e tautológica, é o ponto de partida para compreender a sociologia desenvolvida pelo alemão Niklas Luhmann (1927-1998) baseada em uma teoria dos sistemas autopoiéticos (sistemas operativamente fechados que se autoreproduzem), onde a comunicação tem um papel central. É ela a operação que gera a autopoiesis do sistema sociedade, pois, defende Luhmann, é a única operação genuinamente social. É constituída de um grande número de sistemas de consciência, e, por isso, não pode ser imputada a uma consciência isolada.

Niklas Luhmann (1927-1998)
Niklas Luhmann (1927-1998)

Continuar lendo A teoria da comunicação autopoiética de Niklas Luhmann

Anúncios